Para você que acompanha o Accio News e sempre teve vontade de fazer parte da nossa equipe, essa é a sua chance! Estamos abrindo vagas para criador de conteúdo da nossa pagina! Preencha o formulário abaixo e não esqueça de tomar uma dose de Felix Felicis!



Eles são odiados, jurados de morte e justiça, taxados de malvados horrorosos e fadados a um fim trágico desde a aurora dos tempos. Mas ninguém pode negar que qualquer história que se preze necessita de um destaque neles. Afinal, tudo seria enjoadinho e sem graça na ausência deles. De quem estamos falando? Dos vilões, é claro!

E J.K.Rowling sabia a receita perfeita, pois investiu seriamente nos vilões de HP. O que falarmos de Bellatrix? Ela é fantástica! Aquele toque de malvada com uma pitada de humor insano faz dela a minha favorita.

E Rabicho? O típico traiçoeiro irritante. Ele é aquela mosca zumbindo no seu ouvido, não é lá grande coisa mas, você deseja matá-lo.

O que seria das grandes histórias sem aquele personagem fundamental na transformação do herói?

No universo Potteriano, os vilões tem tanta importância que até mesmo aparecem em um grupos, como é o caso dos comensais da morte, alguns figurões do Ministério da Magia, ou, por quê não, Crabe, Goyle e Malfoy (que nesse caso é um trio).

E já que estamos falando dos vilões, vamos analisar Grindewald. Pensem em como aquele sonhador tinha a ambição do poder, e graças a isso, tornou-se não apenas alguém que por um momento andou lado a lado com Dumbledore em magia, mas também tornou-se rebelde e mau ao ponto de nosso querido diretor batalhar com ele e pôr um fim em suas estripulias.

Grindewald, foi responsável por tornar Dumbledore o que ele é hoje. Sem ele, talvez Dumbledore tivesse se perdido nas trevas em busca do poder e  do conhecimento.

Agora, se é pra falar de vilão não podemos deixar de citar o antagonista de Harry, Tom Riddle. Ou, como é mais conhecido, Lorde Voldemort. Nosso pequeno herói embarcou em sua jornada de consagração, devido ao desejo sombrio de dominação do Lorde das Trevas.

Voldemort é o vilão que faz o sangue gelar e a pele arrepiar. Ele tem o poder de fazer sua boca secar e borboletas voejar em seu estômago, a simples menção de seu nome. E isso porque ele é a pura maldade. Machucar, torturar, matar. O maior dos vilões entendia muito bem disso.

Porém, sua maior função na  história foi tornar maior, o já grande personagem de Harry Potter. Por tudo isso, muito obrigada vilões! Vocês são o máximo!

E você? Conta pra gente qual o seu vilão favorito e por quê 
Até a próxima.

Michelli Mortari.
Ele é uma fonte de conhecimento bruxo e uma inspiração para todos nós. Alguém pode nos fazer o favor de nos Transfigurar em Alvo Dumbledore?

Texto: Pottermore | Tradução: Clara Monnerat
Não podemos realmente ser o grande homem mas certamente pegamos algumas dicas do diretor de Hogwarts. Então, no mínimo, podemos ser 90% como ele. Top! 

Não combata fogo com fogo

Se tinha alguma coisa pela qual Alvo Dumbledore era conhecido era mais do que seu amor por drops de limão, era seu temperamento calmo. O homem simplesmente tinha tranquilidade escorrendo pelos poros. Não significa que ele nunca ficava com raiva-todos nós nos lembramos da fúria de Dumbledore- mas quando ele ficava, era totalmente com razão. 

"Ele pegou a mesa na qual o instrumento de prata tinha estado e jogou ela também. Se quebrou no chão e as pernas rolaram em direções diferentes. ´Você se importa´, disse Dumbledore. Ele não havia hesitado ou feito um simples movimento para impedir Harry de demolir seu escritório. Sua expressão era calma, quase distante."

Sempre que alguém tinha um ataque de raiva em frente de Dumbledore, ele nunca reagiria do mesmo jeito- isso seria lutar fogo com fogo, que não leva ninguém a lugar nenhum. E é uma atitude que todos deveriam adotar. Sempre há maneiras de resolver desentendimentos sem partir para a raiva e a sagaz habilidade de Dumbledore para acalmar uma situação é uma lição para todos nós.


Não tenha medo de falar do coração

Uma das melhores coisas sobre Dumbledore – e é uma longa lista- era sua boa vontade para falar candidamente sobre assuntos que significavam muito para ele, incluindo muito de sua história pessoal. Essa habilidade de botar tudo para fora quando apropriado é aliviante. Significa que há pouco espaço para desonestidade e é o modo mais maduro de aproximar a situação. 

"A verdade, Dumbledore suspirou. É uma coisa bela e terrível e portanto, deve ser tratada com grande precaução. Portanto, eu devo responder suas perguntas a menos que tenha uma ótima razão para não fazê-lo, no qual imploro para que me perdoe. E obviamente, não devo mentir." - Harry Potter e a Pedra Filosofal
   
Aprenda a transformar negativas em positivas 

A morte muda todos e para tantos é algo que te envia numa espiral para baixo- mas não Dumbledore. Ele perdeu ambos os pais e sua irmã mais nova, Ariana, na juventude. Ele estava inicialmente deprimido em ter que cuidar da órfã Ariana, como tinha planos para o futuro,  que tinha sido descarrilhado; e quando Ariana morreu ele culpou a si mesmo. 

"Todos aqueles mais próximos de Alvo-e me incluo entre esses felizardos-concordam que a morte de Ariana e o sentimento de responsabilidade pessoal de Alvo por isso (apesar de, lógico, ele ser inocente).deixou sua marca nele para sempre. Voltei para casa para encontrar um jovem que tinha passado pelo sofrimento de uma pessoa bem mais velha. Alvo ficou mais reservado do que nunca e menos alegre." - Harry Potter e as Relíquias da Morte

Qualquer um ficaria de coração partido depois de passar pelo que Dumbledore tinha passado em uma idade tão jovem mas onde estava esse Dumbledore que nós conhecíamos? O diretor de olhos cintilantes e brincalhão que genuinamente se importava com seus alunos e tinha uma atitude invejável com a vida?


Dumbledore nos ensinou a nos certificarmos a pegar o que a vida joga para nós e tornar  em algo positivo. Isso não significa que você deva ignorar tragédia mas Dumbledore mostrou que não deve ditar seu futuro. 

É uma mensagem que Dumbledore transmitido para seus amigos e alunos antes de morrer e quando ele morreu, era algo que Harry teve que aprender apesar do quão difícil foi a passagem de seu mestre. É importante lembrar dos entes queridos quando eram vivos e não permita que a morte deles anuvie sua mente ou pare de viver.

Coma mais drops de limão 

Bem, essa é óbvia. Dumbledore era conhecido por seu amor pelo doce  azedinho e tinha um excelente gosto para outros doces. O maior bruxo de seu tempo tendo uma queda por doces é simplesmente perfeito. Talvez ele estivesse meio drogado de tanto açúcar durante todas as aventuras de Harry. E talvez nós devêssemos ficar também. 

"Você aceitaria um drop de limão?" "Um o quê?" "Um drop de limão. É um doce trouxa do qual gosto muito." - Harry Potter e a Pedra Filosofal


Seja humilde

Humildade era algo que Alvo Dumbledore tinha correndo pelas veias . Apesar de ser o maior bruxo do sua época, ele certamente não deixava subir à cabeça e nunca era condescendente  ou desdenhoso com os outros. Essa falta de arrogância é inspiradora e um traço que deveria ser incorporado porque se Dumbledore, um bruxo extraordinário e responsável por tanto bem não era tão vaidoso, então qual é a desculpa dos outros?

"Mas você acha que está certo? perguntou Harry." Naturalmente sim mas como já provei a você, cometo tantos erros quanto qualquer homem. De fato, ser-me perdoe- mais inteligente do que a maioria, torna meus erros consideravelmente maiores." - Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Resenha por: Isabela Lopes | Parceiro: Universo dos Livros
“Nesta história real, Deborah Lipstadt enfrenta no tribunal David Irving – um dos mais conhecidos negacionistas dos Holocausto. Acompanhe todo o processo do julgamento enfrentado pela historiadora e seu empenho em ter que corroborar que um dos episódios mais cruéis da humanidade de fato aconteceu. "
Na sessão reservada de hoje vamos falar sobre o livro “Negação” que recebemos da editora Universo dos Livros. É um livro estimulante que conta uma história real de um processo enfrentado pela historiadora Deborah E. Lipstadt, escrito pela própria.

A capa do livro é a mesma imagem do filme estrelado por Rachel Weisz – interpretando Lipstadt – e dirigido por Mick Jackson.


Uma conversa daquelas bem pessoais, intimistas e repleta de detalhes: é assim que Deborah Lipstadt, conhecida escritora e historiadora americana, narra um dos maiores desafios de sua vida, um processo judicial por difamação aberto por David Irving, o qual escreveu vários livros sobre a Segunda Guerra Mundial e o Terceiro Reich. David Irving, também historiador, entrara com esse processo porque Deborah Lipstadt o chamara de negacionista em um de seus livros.

Apesar de parecer ficção, é difícil acreditar que essa história tenha acontecido na vida real pela declaração convicta de Irving de que o Holocausto não havia acontecido (o que acabou estimulando ideias de grupos neonazistas). Sim, meus caros, Irving negava (e ainda o faz) o

acontecimento do Holocausto, um dos maiores crimes contra a humanidade, dizendo seguramente que não havia documento algum que o provasse, assim como declarava que Hitler não tinha uma política de extermínio dos judeus, o que de certa forma – na mente negacionista de Irving – tirava a responsabilidade do líder do partido nazista.

Qualquer um que tenha tido aula de história sobre a Segunda Guerra Mundial sabe que o Holocausto aconteceu. Lipstadt lutou pela manutenção da memória de todos os judeus que foram mortos e por todos aqueles que sobreviveram à tamanha barbárie num embate envolvente e de certa forma revoltante no tribunal. O livro nos traz os detalhes dessa jornada: um processo que foi enfrentado um sistema de regras judiciais bem diferente do que ela estava acostumada, o sistema do Reino Unido. Ela nos deixa a par de todos os passos tomados com precisão e detalhes impressionantes. As diferenças dos tribunais e de todo processo de defesa de seu ponto de vista são explicados por ela, e dessa forma, você se sente como se estivesse conversando com Deborah, uma vez que ela mostra a situação de forma aberta e honesta.

Para que não haja spoiler, eu paro por aqui, mas na intensão de fazê-los ler o livro “Negação” para saber como essa história termina. Não só por esse motivo, mas também, para que você que gosta de assuntos como a Segunda Guerra Mundial, ou que é viciado nas séries com temas jurídicos, essa é uma ótima oportunidade para saber como funcionam dois sistemas jurídicos completamente diferentes. Vale a pena pela leitura fluída e muitíssimo bem escrita, assim como por sua importância e seriedade! Lipstadt conseguirá abalar a credibilidade de Irving? Você saberá se entrar pelas portas do tribunal ao lado de Deborah E. Lipstadt para “ouvir” o veredito.
No trigésimo-sétimo de Harry Potter, nós consideramos o enigma de qual presente dar a Harry: o bruxo que já tem praticamente tudo.

Texto: Pottermore | Tradução: Clara Monnerat
Harry tem uma grande variedade quando se trata de presentes ao longo dos anos: ele foi de nunca ter recebido um cartão de aniversário a Firebolts e Capas de Invisibilidade para o Natal. E em relação ao seu aniversário, o quê seria um presente melhor do que descobrir que você é um bruxo\ Além de um bolo amassado de Hagrid, obviamente. 

Enquanto amigos e admiradores do Garoto de meia-idade Que Sobreviveu, o quê podemos oferecer a ele como um símbolo de nossa estima nesse dia especial? Deve haver algo.
      
Vouchers não serão o suficiente

Ele não gosta de falar sobre isso, foi deixado a Harry uma quantidade considerável de ouro depois que seus pais morreram. Na verdade, os Potter sempre foram uma família abastada. Seu ancestral distante Linfred de Stinchcombe fez uma pequena fortuna como um habilidoso mestre de poções e o astuto homem de negócios do século XX Fleamont Potter teve a reputação de quadruplicar as reservas da família, graças à invenção da Poção Capilar Alisante. 

Portanto, dar a Harry algum tipo de vale-presente seria redundante. Sem mencionar o fato de que Harry é dono de uma propriedade no centro de Londres no 12 Grimmauld Place, herdado de Sirius Black.  Casas geminadas (aquelas uma do lado da outra) que ficam a curtas distâncias do metrô valem algumas boas libras atualmente, mesmo que você tenha que lidar com o retrato da mãe de Sirius gritando.

Basicamente, se ele quiser fazer compras, ele vai se virar bem sem seu voucher, obrigado.
                    
Roupas? Esqueça-as 


Escolher acessórios apropriados para outra pessoa já é difícil o suficiente. Especialmente quando se tem pouca varidade para escolher na moda. Tudo que estamos dizendo é que você não vai impressionar alguém que tem uma capa que o torna invisível. Ou um suéter feito pela senhora Weasley. 

Uma bicicleta ?

Não. De alguma maneira, nós imaginamos que ele vá continuar zanzando por aí no qualquer que seja o modelo da Firebolt desses dias, se todas as vassouras forem o mesmo para você.
 
E em relação a um livro?



Vasculhe todas as livrarias que você quiser, nada do que você encontrar será tão útil quanto a cópia de Harry de Magia de Defesa Prática e Seu Uso Contras as Artes da Magia. Ou tão excitante quanto sua velha cópia de Doze Maneiras de Segurar Bruxas comprado por Rony para o aniversário de Harry há 20 anos (nossa!) atrás. A avaliação de Rony do livro-´´não se trata só do trabalho da varinha´´- é tão verídico hoje quanto era naquela época.

Produtos de cuidados pessoal, talvez?

Por um lado Harry cultiva um look meio relaxado, com seu cabelo permanentemente despenteado quase como um símbolo de honra e uma marca registrada. Mas ele também deixa a barba meticulosamente feita. Isso provavelmente se deve à sua lâmina encantada, dada a ele por Gui Weasley e Fleur Delacour (cujo pai prometeu a Harry que daria a ele ´´a aparração mais que ele terria´´). Lâminas extras de barbear devem ser uma boa ideia mas nós imaginamos, se os preços das lâminas trouxas servissem para dar uma ideia do preço, elas te fariam gastar uns Galeões.

Ingressos para competições esportivas?


De algum jeito, nós imaginamos que a presença do famoso Campeão Tribruxo e triunfante capitão do time de Quadribol da Grifinória iria intimidar os jogadores. Apenas um pensamento.

Um novo telefone?

 Ah, fala sério: todos nós sabemos que magia e tecnologia não se misturam. Nós gostamos de pensar que Harry manteve o espelho de duas faces que Sirius deu a ele anos atrás- uma maneira bem mais elegante de manter contato com as pessoas. Contanto que essas pessoas estejam precisamente no lugar certo no pub de Aberforth Dumbledore, onde o outro espelho provavelmente ainda está pendurado. 

Então o quê sobra que é barato, apropriado, pessoal e útil á um homem de meia-idade? Talvez pegue uma dica com Dobby: meias



Joanne Rowling, mundialmente conhecida por J.K. Rowling nasceu em 31 de Julho de 1965, na cidade de Yate, na Inglaterra. Essa data é, também, a do nascimento de Harry Tiago Potter.

Depois de seu livro ser recusado por nove editoras, ela assinou contrato com a Bloomsbury, adotando, em seu nome, a letra "K", de Kathleen, nome de sua avó favorita, mas também pelo medo dos editores, que alegavam que os meninos não iam ler um livro de magia escrito por uma mulher.

Harry Potter e a Pedra Filosofal foi publicado em 30 de Julho de 1997, e logo se tornou o mais vendido da época. Em seguida, vieram os outros livros e os filmes, e J.K. Rowling se tornou uma das mulheres mais ricas de todo o mundo.


Harry Tiago Potter nasceu em 31 de Julho de 1981, em Godric's Hollow. Filho de Tiago e Lílian Potter, Harry sempre foi cercado de amor e carinho, até que Lord Voldemort, guiado pelo medo e ambição criados pela Profecia, assassinou os pais de Harry. Em seguida, tentou matar o garoto, mas não conseguiu, pois Lílian, sua mãe, havia lhe dado uma proteção que enfraqueceu Voldemort. Esse dia ficou marcado para sempre na vida de Harry, por meio da cicatriz em forma de raio na sua testa.

Depois da morte dos pais, Harry foi morar na casa dos tios, Valter e Petúnia Dursley. Quando tinha 11 anos, recebeu a visita de Rúbeo Hagrid, descobrindo, assim, que era um bruxo.

À partir de quando foi estudar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, a vida de Harry mudou por completo. Ele virou o melhor amigo de Rony Weasley e Hermione Granger; os três viveram grandes e perigosas aventuras, como enfrentar um cão de três cabeças, um Basilisco, Dementadores, Comensais da Morte e a própria morte. Nos seis anos em que estudou em Hogwarts, Harry aprendeu o poder da verdadeira amizade, do amor, e da lealdade.

O menino magricelo que usava óculos redondos, de cabelos pretos e olhos azuis, conquistou o mundo com as suas aventuras, suas lições de vida, e se tornou uma das melhores séries de todos os tempos. E hoje, o garoto que se casou com Gina Weasley e teve três filhos, Lílian Luna, Tiago Sirius e Alvo Severo, está completando 29 anos; mas mesmo que o tempo passe, nós sempre nos lembraremos dele como aquele garoto baixinho, que usava as roupas velhas do primo, e que morava embaixo da escada, pois isso marcou a infância de todos nós, e melhor dizendo, nossas vidas.

Feliz Aniversário, Harry Potter!
Tecnologia do Blogger.