Entrevista com o Daniel Radcliffe

0 Comments
O filme baseado nas aventuras do menino bruxo promete multiplicar o fascínio de um dos grandes personagens da história da literatura infanto-juvenil. O ator Daniel Radcliffe, de 12 anos, já assinou contrato para outros dois filmes da série.

P- Qual foi sua reação ao saber que tinha sido escolhido para o papel?
Daniel - Chorei à beça. Tinha passado por algumas entrevistas, mas fiz apenas dois testes. E meus pais estavam pensando que talvez não fosse bom para eu fazer esse filme. Achei que Chris Columbus tinha desistido de mim.

P- Você ficou nervoso nas filmagens?
Daniel - Muito. No começo eu estava despreparado, porque tinha ensaiado apenas com o diretor, sem o resto do elenco. Quando cheguei ao estúdio e vi aquele monte de gente olhando, atores muito mais experientes que eu, tive medo. Estou em quase todas as cenas, sabia que muita gente ficaria esperando um erro meu a qualquer hora. Depois relaxei, e acabei me divertindo muito.

P- Você já tinha lido algum livro da série antes de ser chamado para o filme?
Daniel - Só o primeiro. Mas confesso que não era muito amigo dos livros... Aí me chamaram para o papel e eu li A Pedra Filosofal quatro vezes. Descobri que era muito legal.

P - Por que você acha que esses livros fazem tanto sucesso?
Daniel - Porque têm todas as coisas mais divertidas de magia, como vassouras voadoras, pessoas que desaparecem, animais fantásticos, varinhas de condão. E são mais inteligentes que muitos outros. Tem também o lado sombrio, o mistério. Isso dá um molho especial.

P - O que mudou em sua vida por causa do filme?
Daniel - Parei de ir à escola. Tinha um professor particular que me dava quatro horas de aula por dia, nos intervalos das filmagens. Tinha também mais quatro horas de trabalho, o tempo permitido pela lei. No começo era difícil. Eu não conseguia me concentrar nos estudos. Depois me acostumei e acabei tirando as melhores notas de toda a minha vida. Fora isso, pouca coisa mudou. Meus pais fizeram um esforço enorme para que eu continuasse com uma vida normal, convivendo com os amigos da escola o máximo possível.

P- O que você faz com o dinheiro que ganha?
Daniel - Guardo tudo. Meus pais me ajudam, põem na poupança. Quero guardar para comprar uma casa quando eu tiver 21 anos. Nem sei se é suficiente para comprar uma casa, mas se precisar eu trabalho um pouco mais e completo. (Estima-se que ele tenha recebido US$ 1,4 milhão pelo primeiro filme.)

P- Você conversou com J.K.Rowling sobre Harry?
Daniel - Sim, umas três vezes. Ela me deu algumas dicas sobre Harry, elogiou meu teste, disse que estava feliz de eu ter sido escolhido. Mas, na verdade, a descrição que ela faz no livro é tão precisa que ficou bem mais fácil. Tudo o que eu tinha de saber está lá.

P- Você se acha parecido com Harry?
Daniel - Talvez. Como ele, eu também sou curioso e fiel a meus amigos. Ao mesmo tempo, ele tem uma coragem que eu não teria em determinadas situações. Uma pessoa corajosa é aquela que escolhe um caminho que outras não escolheriam porque têm medo. E Harry faz isso várias vezes ao longo da história.

P-Qual é seu poder mágico preferido? Voar, desaparecer, mover objetos com a varinha?
Daniel - A capa da invisibilidade. Se pudesse escolher apenas um poder, seria esse.

P: Já foste Harry Potter quatro vezes. Qual o teu filme favorito?
Daniel: Sinceramente adorei fazê-los a todos! Não conseguiria escolher um.

P: Houve alguém com quem gostasses de trabalhar?
Daniel: Adorei trabalhar com o Michael Gambon, que faz de Dumbledore, porque ele é divertidíssimo! Está sempre a contar piadas e na brincadeira...

P: As filmagens são assim tão divertidas?
Daniel: São mesmo! (ri-se). A certa altura, para filmar as cenas debaixo de água, por causa de uns moldes, tive de usar umas meias de mulher nos braços. Claro foi a risota geral!

P: O cálice de fogo está cheio de ação. Fizeste todas as cenas ou houve duplos?
Daniel: Algumas sim. A cena do lago foi uma das mais difíceis. A certa altura, estava a nadar e o realizador disse: "diz a tua fala" e eu pensei, como posso falar se estou debaixo de água?! Mas a mais dura foi, sem dúvida, a do dragão. Tive de cair de uma altura enorme e foi realmente assustador...

P: Gostas de interpretar o lado mais obscuro de Harry?
Daniel: Adoro, porque acho que esse lado traz outro tipo de sentimentos ao filme. E não é só a vida de Harry enquanto jovem feiticeiro, mas também, por exemplo, com a morte de Cedrico, este filme afasta-se do estereótipo de filmes para crianças...

P: Mas também há romance neste filme... Como é que Harry mostra o que sente por Cho?
Daniel: É curioso, porque ele é um herói, corajoso, leal, bom amigo, mas com raparigas não tem jeito nenhum! E acho que é isso que o torna mais humano, normal. Quando está com a Cho não sabe o que dizer e toda a gente se pode identificar com ele nesse aspecto! Já todos passamos por isso...

P: E em relação à Hermione ao Ron?
Daniel: Ah ah! Adorava vê-los beijarem-se! A relação entre eles é como o gato e o rato: "Odeio-te, odeio-te, odeio-te...mas não posso viver sem ti!"

P: Tu, a Emma e o Rupert são bons amigos na vida real?
Daniel: A Emma é como se fosse minha irmã, tornamos muito bons amigos. Em relação ao Rupert é diferente porque ele é mais velho. é divertido, mas não somos assim tão chegados.

P:Tens fãs espalhados pelo Mundo. Lembras-te de alguma situação especial?
Daniel: Uma vez fui à MTV em Nova Iorque e estava um frio de rachar. Então, olhei pela janela e estava uma rapariga embrulhada numa toalha! E tinha um cartaz que dizia "Nada se mete entre o Harry Potter e eu"! Outra vez fui ao Japão e tinha mais de 5 mil raparigas à minha espera... Disseram-me que nem o Brad Pitt tinha tal recepção!

P: Como foi a sua experiência de contracenar com o Dobby, o computadorizado Elfo doméstico? Foi difícil lembrar das suas falas?
Daniel: Adorei contracenar com o Dobby. Eu falava com uma bola laranja espetada na ponta de uma vara. Era um trabalho bastante complexo pois ao mesmo tempo em que ele pulava pelos cantos eu tinha que me concentrar para que meu olhar estivesse exatamente na posição correta. Foi trabalhoso mas quando vi o resultado final achei que valeu a pena.

P:Você fez muitas cenas de ação em Harry Potter e o Cálice de Fogo - algum machucado? Daniel:A pior parte é seqüência com o dragão onde eu escorrego pelo telhado. E não vou fingir que fui corajoso: eu estava apavorado. Eu não tenho problemas com altura. Só não sou louco por cair delas.

P: Como Harry Potter mudou a sua vida?
Daniel: Bem, eu estou aqui (no set de filmagens) ao invés de estar na escola e isso não é nada mal! E eu sou reconhecido nas ruas. Recentemente eu estava andando perto de onde eu moro, e então uma criança olhou pra mim e eu pude notar que ele tinha me reconhecido. Teria sido legal se ele não tivesse gritado "Gente, venham ver!" e então, umas 30 pessoas vieram,o que foi um pouco impressionante. Mas umas duas ou três pessoas se aproximam pra falar com você é bem legal. Não é como eles chegando e falando "Eu odeio você e odeio os seus filmes" Eles elogiam bastante.

P: Você teve que filmar em um tanque de água gigante para a segunda tarefa do Torneio Tribruxo. Como foi essa experiência?
Daniel: Não foi a minha cena favorita, mas de um certo modo foi a mais interessante e a mais divertida de se filmar, pois eu aprendi bastante. No final de três semanas eu consegui duas inflamações no ouvido e os meus olhos estavam realmente ardendo muito. Porém ao mesmo tempo, a cena vai ficar incrível.

P: Quais são as suas dicas para cenas debaixo d'água?
Daniel: Não tente falar! Não tente de maneira alguma falar embaixo d'água! Eu tentei isso...nem um pouco inteligente.

P:Este filme é bem mais sombrio, particularmente para seu personagem, você está bravo e tem que lidar com um monte de coisas. Pode falar a respeito?
Daniel: Acho que Harry passa pelo que qualquer adolescente precisa experimentar, nesse ponto. Claro que os sentimentos de Harry estão exacerbados pelo fato de ele ter todos esses problemas em sua vida, e que há pessoas tentando matá-lo várias vezes (risadas). Ele está incrivelmente nervoso todo o tempo. Nós fizemos uma cena outro dia onde ele confessa a Sirius o que realmente sente, como ele sente raiva constantemente, e como ele acha que pode se tornar uma pessoa má. Ele tem muitas coisas na cabeça e eu acho que, para mim como ator, isso torna mais interessante para fazer, e acho que para a audiência se torna um personagem mais carismático para assistir.

Desculpe por perguntar sobre isso a você, mas você sabe que temos que... Daniel: É sobre o beijo? Certo - ... The big Kiss.
P: Você pode falar sobre essa filmagem? Como foi para você?
Daniel: Há essa coisa que os jornais andaram publicando recentemente na Inglaterra, que eu teria dito "Oh, tive que beijar a Katie trinta vezes", eu apenas queria esclarecer, você normalmente tem que fazer umas trinta tomadas de cada cena, e se é uma cena da Darla andando pelas escadas ou qualquer outra coisa, porque você sempre acaba fazendo de muitos diferentes ângulos. Então nós fizemos assim e foi divertido. No começo, eu e Katie estávamos nervosos, mas depois de repetirmos a cena umas 4 ou 5 vezes, não nos importamos mais e foi legal.

P:Durante as filmagens, você alguma vez releu alguma parte do livro para melhor entender como seu personagem se sente em algumas cenas? Deixou seu conhecimento sobre os eventos que vão acontecer no sexto livro influenciar suas reações?
Daniel: Não. Isso eu nunca fiz, simplesmente porque na vida real ninguém sabe o que vai acontecer dali alguns anos, então seria errado interpretar Harry como se ele soubesse o que vem a seguir para ele. E quanto a reler os livros, eu tento não fazer isso. O tempo de ler o livro para mim é no começo da pré-produção, pelo sim ou pelo não, então quando recebo o roteiro posso lê-lo e se há algo que foi deixado de lado, posso dizer a eles que acho determinada cena fantástica e que adoraria que estivesse no filme, e se der certo pode ser trabalhada. Ler o livro durante as filmagens é algo que não faço, simplesmente porque estou tão ocupado lendo o roteito e decorando as falas.

P:Você realmente vai ficar nu no palco em Equus?
Daniel: Sim. As pessoas têm falado sobre essa parte... e não é a principal coisa dessa peça, não é o centro da peça. Obviamente é a parte que as pessoas lembram porque é uma imagem forte, mas é acima de tudo uma peça fabulosa. Alguém me disse outro dia por que eu não fazia a peça, menos aquela parte. Seria como fazer Harry Potter sem a cicatriz. Você precisa fazer a coisa toda, e não deixar pela metade.

Em mais uma entrevista feita com o astro dos filmes da série Harry Potter, Daniel Radcliffe, o ator aproveitou para comentar sobre as cenas de romance entre ele e a atriz Bonnie Wright (Gina Weasley) em Harry Potter e o Enigma do Príncipe. A entrevista foi feita pelo repórter do jornal chileno Wikén, e contou ainda com a participação do diretor David Yates, em andamento com as filmagens de Enigma do Príncipe e confirmado para a direção das duas partes de Harry Potter e as Relíquias da Morte.

Além do romance entre Harry Potter e Gina Weasley, a entrevista teve vários assuntos. Um deles foi a diferença entre Enigma do Príncipe e Ordem da Fênix, comentada por David Yates. Daniel aproveitou também para falar da cena adicional em Enigma, que não se encontra nos livros.

Confira o que Dan falou sobre o romance:
“É uma história complexa, não é um simples romance, porque Harry é um amigo próximo de Rony, e Gina é sua irmã, e Harry se sente pisando em ovos.”

David Yates destacou as diferenças entre o quinto e o sexto filme:
“O quinto filme foi bastante intenso, mas este é mais uma comédia, onde teremos sim algumas partes sombrias. Há muitas sutilezas no relacionamento e muita tensão sexual e emocional.”
Lembrando que Harry Potter e o Enigma do Príncipe tem data prevista de estréia nos cinemas (inclusive no Brasil) para o dia 21 de novembro. As filmagens terminam em maio. Quanto a Harry Potter e as Relíquias da Morte, sua primeira parte será lançada em novembro de 2010 e a segunda em maio de 2011. O diretor é David Yates e segundo uma declaração do ator Matthew Lewis (Neville Longbottom), deu para entender que as filmagens de Relíquias começam em setembro.


"Melhor comida "
Existe um grande bifé que pode ser encontrado em um café, no oeste de Luxemburgo. É filé com, penso eu, Roquefort derretido.

" Melhor programa de televisão "
Stephen Colbert, The Colbert Report, definitivamente. Em uma das coisas que eu vejo todos os dias depois dos shows.

" Melhor filme "
Essa é difícil. Gostei de Queime depois de Ler. Penso que ficará ensombrado quando você ver Milk. Meu pai viu no outro dia e disse que era exelente, e nós temos exatamente o mesmo gosto. Poderia ser potencialmente este o melhor filme?

" Melhor show da Brodway "
Além de Equus? Seria Gigana. Sou muito fiél aos nossos vizinhos, mas também é um show fantástico.

" Melhor CD "
É um raro, e muito, muito doce e encantador álbum para escutar. É de uma banda chamada The Miserable Rich - creio que se chama 12 Ways to Count o álbum. É uma pequena banda folks escocesa. O álbum de Hold Steady, sou grande fã deles.

" Melhor carta de um fã "
O melhor presente é quando eles não querem nada, apenas enviar uma carta e dizem que "nós amamos o show." A mais doce carta deste ano, foi uma mulher que estava freqüentando o seu primeiro show na Broadway e perguntou 'O que devo usar?'. Acho que foi a coisa mais doce que e especial, ela perguntava o que usar.

" Melhor pergunta tonta em uma entrevista "
Não perguntaram para mim, um jornal, que deve permanecer anônimo, perguntou a Sam Rudy 'O que comem os cavalos e o que acontece se eles fazem um desastre em uma cena?'. Eles pensaram que nós utilizamos cavalos reais. Merece ser o número um.

" Melhor momento de 2008 "
Estar aqui [nos Estados Unidos] quando Obama ganhou. Pensei: 'Uau, eu me sinto tão privilegiado para estar no país no momento.'. Mudei para o canal Fox News e vi todos chorarem.

" Melhor razão para estão na Broadway "
Foi um ano difícil para a Broadway. Qualquer um de nós como uma equipe que poderia fazer algo para ajudar e para trazer pessoas para o teatro é importante.

" Objetivo do ano novo "
Trabalhar mais do que nunca no próximo filme de Harry Potter.
" Melhor comentário sobre cenas "
'Você está mais talentosas do que eu esperava'. Isso é para mim.

Perfil do Dan Radcliffe

Nome: Daniel Jacob Radcliffe
Naturalidade: Inglês
Data de nascimento: 23 de Julho de 1989
Signo: Leão
Outros filmes: David Copperfield e O Alfaiate do Panamá
Time de Futebol: Fulham (time inglês)
Pais: Alan Radcliffe e Marcia Gresham
Livro favorito da série Harry Potter: Harry Potter e a Câmara Secreta
Livro favorito excluindo os da série Harry Potter: Holes, de Louis Sachar
Filme favorito: What's Eating Gilbert Grape
Personagem favorito: Hagrid
Filmografia:
David Copperfield (1999)

O Alfaiate do Panamá (2001)
Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001)
Harry Potter e a Câmara Secreta (2002)
Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (2004)
Harry Potter e o Cálice de Fogo (2005)
Harry Potter e a Ordem da Fênix(2007)
Harry Potter e o Enigma do Príncipe (2008)
Harry Potter e as Relíquias da Morte (2010)
December Boys
My boy Jack
Peça Equus


Tecnologia do Blogger.