/Tradução da entrevista de Rupert Grint ao Ellen Girl

0 Comments
E seus papéis mudaram! Pegue os exemplos de Lições de Vida e Cherrybomb. No primeiro filme você beija uma garota, no segundo tem uma cena nu. Foi difícil fazer essas cenas depois de Potter?
Rupert Grint: Definitivamente. Não somente depois de “Potter” – elas são objetivamente difíceis. Em Lições de Vida eu interpretei um rapaz oprimido que está tentando se livrar do controle de sua mãe. Seu primeiro beijo foi muito importante – como um dos seus primeiros atos de independência. Para mim essa cena foi difícil não somente por causa da importância para o personagem, mas também por causa de questões de intimidade. Estávamos cercados por toda a equipe! Não era exatamente uma atmosfera romântica… e você tem que fingir que é real! Lições de Vida — não é grande de bilheteria, não é um projeto grandioso, não temos efeitos super especiais, só os protagonistas, a realidade. Vida real seres humanos. A segunda vez foi muito mais fácil. Cherrybomb é um suspense sobre dois amigos que entram em um sério problema por causa da garota que eles se apaixoanm. Esse gênero é mais fácil de ser feito pelos atores. Mas eu nunca poderia fazer o que Dan Radcliffe fez na peça Equus, eu nunca teria tanta coragem. Dan atua completamente nu por 10 minutos. No teatro, no palco! Para mim, isso é incrivelmente corajoso.

Falando em querer, no filme Harry Potter e as Relíquias da Morte ao qual lançará em 2010, você tem uma cena que terá de beijar a Hermione…
Rupert Grint: Totalmente horrível! Eu e Emma crescemos juntos, nós no conhecemos por séculos… Eu estou verdadeiramente assustado com essa cena. Eu vou trazer uma pilha de palavras cruzadas para o set, então eu e Emma poderemos fazê-las entre as tomadas.

No fim você cresceu junto com seu personagem Ron. Como ele e todos do fenômeno-potter influenciaram você no que é hoje?
Rupert Grint: Meu pai brinca: nosso Rupe tem todos aqueles álbuns de criança nas telonas! E ele está certo: esses filmes são parte dos meus álbuns, ao qual eu tenho preservado a maior parte de minha infância. Era uma ótima época! Apesar de nós termos algumas limitações. Os produtores nos previniram que mudássemos nossos cortes de cabelo, e nós não podíamos nem pensar em colocar piercings e tatuagens… Hoje em dia eu acho isso bem divertido e um tanto estranho quando assistimos nosso primeiro filme — todos nós crescemos e mudamos muito. E não só do lado de fora.

Mas seriamente, se você não se tornasse um ator, o que você faria?
Rupert Grint: Eu desenharia. Eu sei desenhar ótimos cartoons. Então eu provavelmente iria me tornar um cartunista ou um animador.

Alguns anos atrás, nós vimos que você comprou uma perua de sorvete. Por que você fez isso?
Rupert Grint: Eu estive interessado na indústria do sorvete! O cinema vem e vai, e o sorvete é eterno… O eterno sorvete! Um bom slogan para a vida, não é? Então esse é o meu plano: se eu não fizer cinema, esse será o meu negócio.

E as garotas?
Rupert Grint: Bem aqui no monociclo. Para treinar o equilíbrio. Coisas estranhas têm acontecido. Por exemplo, eu tenho três irmãs, e todas elas gostam de usar leggings. Eu acho que elas são as roupas mais ridículas da Terra. Então quando todas elas usam cores em verde claro, amarelo e fúcsia, isso me faz contemplar a estranheza das garotas.


Traduzido por Gustavo Prado (Oclumencia)


Tecnologia do Blogger.