Divulgada mais uma descrição de "Enigma do Príncipe"!

0 Comments
Descrição
"Harry Potter e o Enigma do Príncipe"
Eric - MuggleNet


Primeiro, deixe-me explicar que o que nós vimos foi uma exibição teste de Harry Potter e o Enigma do Príncipe – o primeiro, aparentemente, que sempre acontece em Chicago, baseando-se de volta aos dias dos dois primeiros filmes. Lá estavam, se eu tivesse que adivinhar, diria que 300 pessoas, e nenhuma delas com as quais conversei sabiam com antecedência o que íamos ver. Tudo que nos disseram foi que o filme deveria ser classificado como PG-13, não era permitido dispositivos de gravação de vídeo ou áudio (eles confiscaram nossos telefones) e o propósito da exibição era de obter opiniões de diversos públicos antes do lançamento real do filme. Mais propriamente uma norma, tenho certeza.

Enquanto sentados no cinema, tudo o que podíamos fazer era especular sobre qual filme seria. Estávamos completamente incertos, até que alguma coisa que aconteceu me fez olhar duas vezes. David Heyman entrou no auditório e começou a falar com um sócio. Embora não o tivesse conhecido pessoalmente antes, eu o havia visto em muitas entrevistas, e, quando o vi, minhas mais remotas esperanças vieram à minha cabeça. Sem dúvida, as luzes diminuíram, e anunciaram que iríamos ver uma versão inacabada e cortada, não inteiramente completa, mas em geral íntegra, de Harry Potter e o Enigma do Príncipe.

Em frente com o filme.

Nós sabíamos que eles tinham filmado uma cena do desmoronamento da ponte, que no livro foi mencionado no primeiro capítulo, “O Outro Ministro”. Isso resultou em uma grande seqüência de abertura, e, embora não conheçamos o Primeiro Ministro trouxa, nós vemos o desastre na perspectiva dos trouxas. Na verdade, é de ambas as perspectivas, trouxa e bruxa, que vemos o que acontece – um truque realmente legal que se pode fazer com um filme. É tirado muito bem. Já gostei do estilo e cuidado que é colocado na caracterização das pessoas nesse mundo, que nem ao menos conhecemos.

Os Dursleys não estão nesse filme, mas essa informação também já sabíamos. Ao invés disso, encontramos Harry esperando por Dumbledore, e não vou dizer onde, exceto dizer que eles construíram uma cena que acho que funciona bem. O filme já deu alguns segundos para refletir rapidamente os horrores do ano anterior de Harry, e nós estamos prontos, como público, para ver Harry seguir sua jornada e ir para longe dali.

Harry e Dumbledore aparatam acompanhados (o efeito especial, que pareceu estar completo, foi perfeito em seguir a descrição da ação) para o povoado onde Slughorn estava, e uma das minhas maiores preocupações no filme era ver Jim Broadbent como Horácio Slughorn. Não se preocupe. Em todo o filme, eu estava continuamente impressionado em como eles adaptaram o personagem ao filme, e dizer que ele reflete mesmo o meu Slughorn dos livros satisfatoriamente, com um pouco a mais, é verdade. A cena onde eles encontram Slughorn é surpreendentemente próxima dos eventos do livro, assim como é na maior parte do filme, na verdade. Eu estava surpreso e contentíssimo em ver Slughorn-sofá colocado no filme.

Os acontecimentos de “A Rua da Fiação” também são no começo do filme. Recebemos uma foto promocional de Alan Rickman como Snape e Helen McCrory como Narcisa realizando o Voto Perpétuo, e isso porque – está no filme. Alan Rickman parece bem. Eles fizeram o traje de Snape sob medida e ele estava com um cabelo mais apropriado, o tratamento completo de vilão principal, eu suspeito. A cena é forçadamente procedida e não parece fora do lugar com os muitos acontecimentos do começo do filme.

E assim, o filme continua. Com o rumo inicial da história atrás deles, embora não tenha parecido rápido de qualquer modo, somos levados à Toca. Aqui é onde vou acelerar a resenha.

Muitas das coisas que as pessoas pareceram não gostar no quinto filme, assim como a imensa quantidade de tempo passando em atraentes visuais e por outro lado fotografias decepcionantes, não aparecem nesse. O filme mantém o visual nítido do diretor, porém. Recomeçando da cena inicial da Toca, fica claro que o sr. Yates não perdeu seu lado criativo e nem mudou para fazer coisas diferentes e maravilhosas com a câmera.

O filme inteiro parece manter o passo, e acho que uma das coisas que ajudaram a equipe é o corte claro de um conjunto de eventos espalhados quase uniformemente por todo o ano no livro. Não há muita coisa acontecendo, apenas coisas suficientes em significativas épocas do ano, então eles podem documentar o ano inteiro sem sentir que está muito rápido. Novamente, menciono a proximidade do filme com o livro detalhadamente. Algumas cenas são quase literalmente (parecidas), mas as que não são servem para realmente melhorar o impacto do filme e a habilidade de estar sozinho como um filme.

Todas as minhas preocupações com Bonnie Wright como Gina foram lavados para longe em sua primeira cena. O livro seis tem ou muito beijo ou muito Voldemort – de nenhum eu reclamei e de ambos eu gostei – mas esse filme balanceia completamente os dois muito bem. Parece quase fácil. Mas há mesmo cenas sombrias e depois cenas muito divertidas. Se você conhece os personagens por ter lido os livros, eu acho que você vai escapar mais do filme do que aqueles que não leram, e isso me surpreende. Pela primeira vez, aparentemente, a equipe fez um filme que é REALMENTE conforme os personagens no livro e quase sem medo de deixar os novatos com a vara mais curta.

Também é importante mencionar que esse filme não é de nenhum modo, sob qualquer condição, em qualquer aspecto ou forma, um filme para crianças. Eu disse isso antes de considerar os Potters, mas dessa vez não podia ser mais verdade. Tudo nesse filme grita grave intensidade, como a cena do colar com Cátia Bell, e isso me deixa tão feliz que eles puderam fazer um filme intenso como esse, porque me dá esperanças para as adaptações do sétimo livro. Mas eu acho que vocês deveriam pensar duas vezes antes de trazer seu irmão mais novo para vê-lo.

Tal esforço é gasto nas personalidades do trio do começo ao fim do filme. De fato, Emma Watson nunca esteve melhor. Há um momento nesse filme onde eu quase gritei “ESSA é a Hermione do meu livro!” o que não aconteceu a mim desde o primeiro filme. Semelhantemente, Rupert teve algumas cenas REALMENTE engraçadas para interpretar nesse filme. O enredo secundário de Lilá é hilário e, surpreendentemente, não é irritante. E oh, que alegria é ver o quadribol de volta!

O filme foca no trio talvez mais do que nunca, mas os personagens em volta são bem retratados. Matthew Lewis como Neville de novo tem uma quantidade pequena de tempo em tela, mas todos nós sabemos o quão incrível seu papel vai ser no próximo filme. Entretanto, mesmo em cenas onde os personagens que nós conhecemos não estão em destaque ou falando, eles aparecem. Não há dúvida devido à melhora da atuação de todos, e a tolerância seriamente elogiável por suas partes pequenas. Eles representam bem. A Luna de Evanna Lynch tem, talvez, o mesmo tempo de cena que ela teve no último filme, e muitas coisas de seu personagem nos livros são trazidas às telas e são divertidas de ver.

O novo elenco também é louvável. As personagens de Córmaco McLaggen e Lilá Brown realmente ajudam a impulsionar o lado escolar da trama ao longo do filme. O filme quase se baseia em seus papéis convincentes no momento, porque é mais fácil esquecer que nós estamos em uma escola com todas as coisas sombrias, misteriosas e tudo mais que está acontecendo.

Há muitas cenas com Draco. Estou surpreso por não tê-lo mencionado ainda. Desde cedo, Tom Felton tem muito a fazer nesse filme e é muito agradável vê-lo conseguir interpretar sua personagem por uma boa quantidade de tempo. O filme é simpático - o foco da história tem sua difícil situação como uma subtrama, e nós vamos vê-lo muitas vezes rondando pelo castelo nos fundos de outras cenas. Nós somos “lembrados” que ele tem a sua missão, sem tudo ser dito.

Michael Gambon, neste filme, finalmente me satisfez. Ele tem o tom de voz correto das falas que é necessário para Dumbledore, e parece estar real e totalmente dentro nele. O clímax do filme é feito de forma muito impressionante, e ao longo do filme você é capaz de adotar o seu Dumbledore bastante bem.

Outra grande coisa sobre esse filme é o reaparecimento de pequenas coisas. O diário de Tom Riddle, de Câmara Secreta, o Mapa do Maroto, por exemplo. São as pequenas coisas que acrescentam continuidade dos filmes anteriores pela qual eu sou persistente. Além disso, os gêmeos! Embora eu tenha percebido que eles não tem os adereços, de longe a minha cena FAVORITA no filme é uma que se tem lugar na Gemialidades Weasley! É tão bom vê-los depois da fraca abertura inicial do filme e a sua cena, por volta de cinco muitos de duração, é a melhor. Os cineastas simplesmente não poderiam deixá-la de fora - e fizeram bem em mostrar que algumas pessoas no mundo mágico são capazes de superar todo o medo acontecendo lá fora. O Beco Diagonal está, por outro lado, quase completamente vazio - a loja do Olivaras está vazia. Vocês conseguem acreditar que eles mencionam isso? Eles falam. Eles ainda tiveram tempo para andar dentro dela e se sentir tristes.

As próximas a serem citadas são as cenas da Penseira. Havia sido confirmado que haveria uma menor quantidade delas no filme do que há no livro. Eu não tive problema com as cenas cortadas do Filme Cinco, e tive menos problema ainda por elas não serem incluídas no Sexto. O que os cineastas têm feito é elaborar meticulosamente um filme retratando os eventos que acontecem no livro e contar uma história realmente atraente, incluindo todas as partes mais adaptáveis que eles poderiam encaixar no tempo de fita. Eu teria gostado de ter visto os Gaunts? Talvez. Mas isso é facilmente uma cena de dez a quinze minutos que pouco tem a ver com o caminho atual à frente de Harry. Existem algumas coisas que tenho orgulho de poder simplesmente ler no livro e que sempre estarão lá, tão bem feitas, sem uma adaptação cinematográfica.

Existem apenas duas cenas da Penseira incluídas. A cena do teaser trailer, do jovem Tom Riddle no orfanato, e a cena da classe de aula do Slughorn, tanto a reduzida quanto a mais longa como no livro, quando descobrem sobre as Horcruxes. Essas três viagens na Penseira são tão bem colocadas no filme, e o filme não aparenta separado delas. Também não há muitos beijos. Em termos globais, mais uma vez, há um grande equilíbrio.

A cena da caverna no final do livro poderia ter sido estragada tão gravemente no filme, mas não foi. Ela é maravilhosa. É exatamente o que eu imaginava e conduz um impacto emocional incrível. As características especiais são ótimas. Assistir Harry obrigado a saciar Dumbledore é simplesmente tão cru e assustador como foi no livro. A atuação de Dan Radcliffe por toda a cena é dez.

Esqueci de mencionar a subtrama do Príncipe Mestiço. Com tantas subtramas, é uma maravilha como todos eles a encaixam tão bem no filme, mas eles conseguem! Ela não foi cortada! E as cenas do Clube do Slugue, ah sim, existem algumas. E o Quadribol, como mencionado. De volta a isso, eu estou impressionado com a quantidade de cada coisa que eu achava que não iria ver.

Por último, o clímax. Ele também foi adaptado muito bem. Existe essa emoção por trás dele e, quando a trilha for concluída, tenho certeza de que será um dos momentos determinantes da série. Eu gostei muito de assistí-lo, muito mais do que a cena de morte do Sirius. Houve um momento engraçado para mim na Toca, com Lupin, Tonks e o Sr. Weasley na sala, quando eu pensei “Ei, espere um minuto, onde está o Gary Oldman?” A morte de Dumbledore irá marcar.

A trilha do filme, embora nós tenhamos ouvido uma versão não-finalizada, foi ótima. Eles têm utilizado alguns temas recorrentes, incluindo vários do filme Prisioneiro de Azkaban! Eu fiquei bastante aterrado ao ouvir a melodia de “Something Wicked This Way Comes” ajustada para os eventos do livro seis - tão ameaçadora e verdadeiramente perfeita. Tenho plena confiança de que, quando concluída, será maravilhosa.

Depois do filme, eu me apresentei ao David Heyman. Não somente ele estava lá, mas também Alan Horn, o presidente da Warner Bros., David Yates, o diretor, David Barnes, o co-produtor, e Mark Day, o editor do filme! Todos eles se sentaram mais tarde para um “grupo de diálogo” de vinte minutos, que eu não compareci, e quando saíram, eu falei com eles sobre a duração do filme e como senti que era um grande sucesso.

Eu escrevi esse relato para que pudesse expressar a todos como valerá a pena a espera por esse filme. Sei que ele foi adiado e que isso enoja. Mas eles vão usar esse tempo que têm agora, projetá-lo um pouco mais, e estou totalmente convencido que um filme melhor será feito como resultado disso. Mal posso esperar para ver os trailers adequados do filme, um pôster do filme, e todas aquelas coisas porque minhas preocupações desapareceram completamente. Tenho certeza que o filme que eu vi não é o filme final e, uma vez que o CGI esteja completo e as respostas forem consideradas, haverá muito mais para fazê-lo uma experiência completamente diferente.

Imaginar isso ainda é um pouco mais de um borrão, mas espero que isto ajude a espera, e assegure a vocês que as pessoas que estão fazendo o filme têm respeito pelos fãs no coração. Todos nós recebemos análises que nos imploraram para serem tão específicas quanto possível sobre o que vimos e o que não gostamos, quais foram os nossos personagens favoritos, perguntas sobre o ritmo do filme e tudo isso. Este filme ainda será o melhor. Eles têm o tempo e a força de vontade para torná-lo o melhor.


Tecnologia do Blogger.