Relembre cinco papéis marcantes de Alan Rickman no cinema

0 Comments

O cinema teve uma grande baixa na última quinta-feira (14) com a morte do ator inglês Alan Rickman. Aos 69 anos, ele faleceu devido a um câncer. Rickman ficou conhecido pela maestria com que encarnava seus personagens. Sem muito esforço, era um mestre na arte de interpretar vilões. Poucos atores conseguem ser tão carismáticos quando dão vida a antagonistas. Não é difícil enumerar a série de trabalhos em que ele atingiu a perfeição.

Confira uma lista com cinco interpretações marcantes do nosso querido Alan:

1) Hans Gruber (Duro de Matar, 1988)

No primeiro longa-metragem da franquia Duro de Matar (Die Hard), Alan Rickman era o terrorista alemão Hans Gruber, que colocou em xeque a vida da esposa do oficial John McClane (Bruce Willis). O policial foi visitar a mulher em Los Angeles, durante o Natal, mas não esperava que uma quadrilha invadisse a multinacional onde ela trabalhava e colocasse a situação dos presentes em risco. Essa foi a grande estreia de Rickman no cinema. O filme fez muito sucesso com o público, arrebatando mais de 140 milhões de dólares.



2) Coronel Brandon (Razão e Sensibilidade, 1995)

A adaptação da clássica obra de Jane Austen proporcionou a Rickman um papel importante como o coronel Brandon, em uma atuação mais vibrante, provando sua versatilidade. Pela participação, ele foi nomeado ao BAFTA como ator coadjuvante. Este é o primeiro trabalho em que contracena com Emma Thompson, que também assina o roteiro. Os dois se tornaram grandes amigos e atuaram juntos em vários filmes: Momento de Afeto (1997), Judas Kiss (1998), Simplesmente Amor (2003), Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (2004) e Harry Potter e a Ordem da Fênix (2007).


3) Antoine Richis (Perfume: A História de um assassino, 2006)

A trama se passa no século 18 e acompanha a trajetória de Jean-Baptiste Grenouille (Ben Whishaw), um aprediz de perfumista acusado de assassinar diversas mulheres em Paris. Uma das vítimas é filha do poderoso Richis (Alan Rickman), que tenta proteger a família do misterioso assassino em série que assola a capital francesa. Mesmo num papel secundário, Rickman consegue destaque mais uma vez.


4) Juiz Turpin (Sweeney Todd, 2007)

Na adaptação do bem-sucedido musical da Broadway para o cinema, ele é o responsável pela desgraça do barbeiro Benjamin Barker (Johnny Depp), que vai parar na cadeia por um crime que não cometeu. O juiz não esperava que o barbeiro voltasse anos depois à Rua Fleet e buscasse vingança contra os culpados por sua ruína. O filme de Tim Burton traz uma Londres nebulosa. E Rickman vai além do que já havia feito, arriscando alguns números musicais. A produção recebeu três indicações no Oscar e venceu o prêmio de direção de arte.


5) Professor Severus Snape (Harry Potter, 2001-2011)

Ele esteve presente nos oito longas da saga, de A Pedra Filosofal a Relíquias da Morte: Parte 2. Deu complexidade a um personagem ambíguo em uma das franquias de maior sucesso no cinema. Conquistou uma legião de fãs, que segue inconformada com sua morte. Alan Rickman se divertia ao vivenciar Snape e destilar todo seu veneno, além de conseguir entreter o público e encantar a crítica. Não por acaso, é a sua interpretação mais famosa. A autora dos livros que serviram de base para os filmes, J.K. Rowling, se pronunciou no Twitter lamentando a morte dele e ressaltando as virtudes do ator nos papéis que desenvolveu e enquanto pessoa.




Tecnologia do Blogger.