As piores decisões de Harry Potter

0 Comments
Nem mesmo o menino que sobreviveu acertava sempre.
Texto: Pottermore | Tradução: Clara Monnerat
Apesar de seu status e de ser um bruxo poderoso, Harry ainda cometia erros.E alguns deles se revelaram  fatais.

1) Sectumsempra


Quando Harry pegou o aparentemente inocente livro de segunda-mão de Poções, nós não tínhamos nenhuma ideia o quão importante iria se tornar.Apesar das anotações feitas nas margens inicialmente o irritassem, Harry logo percebeu seu valor.Esses atalhos o transformaram em um mestre das Poções e logo ele estivesse procurando o livro de ponta a ponta assim que tivesse um momento livre,o Príncipe Mestiço, que havia escrito essa páginas, até ajudou a salvar a vida de Rony quando ele bebeu hidromel envenenado, graças a um apressado ´´Apenas enfie um bezoar garganta abaixo´´ .Não é difícil perceber o porque Harry começou a confiar nele-todas as informações ofereciam ajuda e não havia um traço de magia negra, apesar das suspeitas de Hermione.

Harry provavelmente pensou que o feitiço de Sectumsempra, marcado ´´para inimigos´´, faria a vítima ser pendurada de cabeça para baixo ou simplesmente fazê-lo cair, baseado nos resultados de encantos feitos anteriormente.Então quando ele o usou em Malfoy durante um confronto,ninguém estava tão chocado quanto Harry ao ver o banho de sangue.Testar um feitiço nunca antes testado de um autor desconhecido não foi a melhor decisão que ele já fez mas ele definitivamente aprendeu uma lição disso.

2) Não levar as aulas de Oclumência a sério 


Harry não tinha uma afinidade natural para a especialidade de Snape e isso só serviu para aumentar a tensão entre os dois quando se tratava de Snape tendo que ensinar Harry a fechar sua mente.Harry não pode ser inteiramente culpado:afinal, quem daria permissão às suas memórias de boa vontade a uma pessoa que considera inimiga?

Então, ao invés de tentar reprimir as tentativas de Voldemort de entrar em sua mente, Harry fica obcecado por elas.Ele está convencido de que pode usar essa habilidade a seu favor-do mesmo jeito que soube do ataque ao Sr.Weasley por Nagini.

Apesar de saber que não deveria estar fazendo isso e Hermione frequentemente o avisando sobre isso, ele continua permitindo o acesso de Voldemort.Como resultado, sua mente fica aberta a uma armadilha quando Voldemort mostra a ele uma visão de Sirius sendo torturado. O trágico final em que seu padrinho acaba sendo morto é algo pelo qual Harry nunca se perdoa.

 3)  Pegando o carro voador de Arthur Weasley emprestado


Tecnicamente, essa ideia infeliz foi concebida por Rony Weasley mas Harry não tentou exatamente convencer seu melhor amigo a desistir da ideia de voar o carro encantado de Arthur Weasley até Hogwarts. Tivesse Harry pensado com mais afinco-ou mais provavelmente, se Hermione estivesse ali com eles-teriam enviado uma mensagem para a escola através de Edwiges e aguardado instruções sobre o que fazer. Mas ao invés disso, eles decidiram fazer uma entrada.

É claro, não demorou muito para eles se arrependerem da decisão e isso foi antes de baterem no Salgueiro Lutador.Se eles tivessem sabido que sua aventura resultaria na perda da cerimônia do Chapéu Seletor, encontrar um Snape furioso, quase serem expulsos e deixar o Sr.Weasley enfrentando um inquérito no trabalho talvez tivessem optado pegar um transporte alternativo. Visão futura é uma coisa maravilhosa e algo que os bruxos estão tanto à mercê quanto os trouxas.

4) Acusar Malfoy de amaldiçoar Katie Bell


Essa é uma interessante porque Harry estava certo- Draco Malfoy estava por trás do terrível ocorrido, em uma tentativa desesperada de completar sua tarefa para Voldemort. Mas não importa que Harry estivesse certo, o que importa é o jeito que ele apresentou seu argumento-é uma decisão no momento que ele está irritado- e ele a despeja a acusação sem qualquer evidência para defendê-la. Apenas dizer que ele ´´sabia´´ nunca iria colar com alguém tão racional quanto McGonagall.

Sua tendência a ser pavio curto e impulsivo já causou problemas para ele antes e dessa vez significou que ele não foi levado a sério. Sua rivalidade com Malfoy era bem conhecida na escola e até Rony e Hermione-seus maiores apoiadores-não acreditaram na sua teoria.Como a maioria das má decisões de Harry, nasceu de boas intenções-ele queria que o culpado fosse capturado antes que alguém fosse machucado.

5) Confiar no diário de Tom Riddle


Esse erro no julgamento aconteceu no início da jornada mágica de Harry mas levando em conta que ele já tinha testemunhado coisas incríveis no mundo mágico, teria sido sábio ter tido mais cautela.Quando a Murta-Que-Geme chama sua atenção para o caderno velho, desgastado e encharcado no banheiro,o primeiro instinto é abri-lo e estudá-lo, para o assombro de Rony. Apesar de seus avisos que poderia ser perigoso e suas anedotas envolvendo objetos amaldiçoados, Harry não recua. Pelo contrário, se perguntando se tem alguma coisa a ver com Câmara Secreta, ele decide guardá-lo.Quando ele escreve em uma página e o livro o "responde", ele pula entusiasmado na conversa e quando o livro o permite acessar uma memória, ele aceita.

Assim como Gina antes dele,ele fica encantado com o charmoso e bem-comportado Tom Riddle e sua história solitária, não muito diferente da sua. É outro exemplo de como o desejo de Harry de fazer a coisa certa frequentemente o envia ao perigo- aqui, com o risco de Hogwarts fechar e os ataques aos alunos, ele quer recolher o máximo de informação sobre a Câmara quanto possível para ajudar.

6) Desarmar Stan Shunpike 


A Ordem da Fênix teve uma brilhante estratégia para enganar os Comensais da Morte quando chegou a hora de transportá-lo para a casa dos Dursley: sete Harry Potter. Como eles poderiam adivinhar qual seria o verdadeiro Harry Potter\  Infelizmente, em meio a todo o caos, Harry se denunciou quando ele percebeu que o motorista do Nôitibus Andante, Stan Shunpike, estava lutando com os aliados de Voldemort. Tendo conhecido Stan quando ele estava fugindo da casa dos Dursley após ter transformado tia Guida em um balão, Harry não podia causar grande estrago. Seu pensamento era válido- e se ele estivesse sob o comando da maldição Imperius e fosse completamente inocente de qualquer infortúnio?  Infelizmente, o feitiço que atingiu Stan -Expelliarmus - não apenas o desarmou mas denunciou sua posição. Como Lupin afirmou, esse feitiço tinha se tornado sua marca registrada, pois tinha salvado sua vida anteriormente, lutando contra o Lorde das Trevas.

Foi uma má decisão da parte de Harry em termos de estratégia porque concentrou toda a atenção nele e em Hagrid, o que era a última coisa que a Ordem queria e os colocou em grave perigo.Mas foi uma boa decisão para a alma e para a sanidade de Harry- ele não é um assassino, é um campeão dos mais fracos e sempre tentando fazer a coisa certa. Machucar ou matar intencionalmente um inocente teria tido um efeito terrível nele e quem sabe, o teria feito trilhar um caminho obscuro. 


Tecnologia do Blogger.