Momentos notáveis da Pedra Filosofal que tiveram uma importância significante

0 Comments
Faz vinte anos desde que conhecemos Harry pela primeira vez e nunca nos esquecemos que Pedra Filosofal estava repleta de momentos carregados de simbolismo que moldariam o resto da série.

Texto: Pottermore | Tradução: Clara Monnerat
O vidro que desaparece

Embora nós ouvimos um pouco sobre os momentos não - intencionais de magia do Harry-como seu cabelo crescer de volta após cada visita ao barbeiro ou indo parar no telhado da cozinha da escola de maneira inexplicável - o momento que ele liberta a boa constrictor no zoológico é a primeira vez que testemunhamos o que ele pode realmente pode fazer.

Sem pensar, Harry começa uma conversa casual com a cobra falante e de repente, o vidro desaparece. Imagine uma boa constrictor solta e um dono da casa dos répteis provavelmente mortificado em continuar com seu trabalho. Mas enquanto Harry é simplesmente punido pelos Dursley, ele não tem ideia do quão importante foi esse momento. Não é apenas mais um exemplo de suas habilidades mágicas, é a primeira evidência que temos da habilidade de Harry com as cobras, o traço que ele compartilha com Voldemort. Obrigada, amigoooooo.


Entrando em Gringotts

A primeira vez que Harry entra no banco bruxo, ele armazena várias informações novas: como é a aparência de um duende, como funciona o dinheiro bruxo e a descoberta de que ele possui uma pequena fortuna em uma moeda que ele nem sabia que existia.

Ele também conhece Grampo, o duende que mostra o cofre a ele pela primeira vez e se tornará muito importante mais tarde. Quem poderia adivinhar àquela altura que Grampo se tornaria tão crucial na jornada de destruir as Horcruxes de Harry?

Conhecendo Malfoy


Não é apenas Gringotts- a incursão inicial de Harry no mundo bruxo significa várias significativas primeiras vezes: conhecer Hagrid, aprender sobre magia, ver sua primeira vassoura, visitar o Beco Diagonal pela primeira vez. Outro momento que se destaca é seu primeiro encontro com o menino que depois nós aprendemos ser Draco Malfoy.

Tirando as medidas na Madame Malkin, experimentando os robes juntos, falando sobre a escol- Harry pode ter pulado de excitação ao conhecer um garoto de sua idade mas sua resposta imediata é desconfiança. Ele não fica impressionado com a superioridade de Malfoy ou sua atitude condescendente com Hagrid, um homem que Harry acabou de conhecer mas a quem ele se torna imediatamente leal. Isso diz bastante sobre o caráter de Harry e ao se recusar a apertar a mão de Malfoy, Harry já fez uma grande escolha em relação a seu futuro em Hogwarts.

Conhecendo Rony


O primeiro encontro de Harry com Rony não poderia ser mais diferente.  Na verdade, Harry parece ter uma atração natural aos Weasley, ao pedir a bondosa mãe de Rony por ajuda na plataforma nove três-quartos e depois ao conhecer seu futuro melhor amigo. Quando ele e Rony sentam juntos no Expresso de Hogwarts, ele está tão fascinado pela família de Rony quanto ele está por Harry Potter. A calorosa recepção dos Weasley e sua imersão no mundo bruxo é fascinante para Harry. 

Esse também um é momento que muda a vida de Rony. Desde o primeiro momento, ele passa a impressão de ser o segundo melhor e isso não é algo que passa quando você se torna amigo de Harry Potter. Esse sentimento vai crescendo pouco a pouco e apesar de não causar nenhum dano permanente,  há alguns sinais de perigo, notavelmente a inveja de Rony em O Cálice de Fogo e sua deserção de Harry e Hermione em Relíquias da Morte. Nós vimos esse olhar antes, quando Harry compra todo o carrinho de doces e Rony olha envergonhado para seus sanduíches caseiros.

Primeiras impressões de Snape

Ah, o quão pouco nós sabíamos.

A primeira vez que Harry vê Snape, ele sente uma "forte e latejante dor" em sua cicatriz. Essa é uma reação que ele (e nós) mais tarde associamos com Voldemort, então não é surpreendente que Harry antipatiza com Snape.

A situação não é amenizada por Snape, lógico. Não conhecendo o histórico de Snape com seus pais, ao final de sua primeira aula de Poções, tudo o que Harry sabe é o quanto Snape o odeia. O sentimento se torna mútuo. Snape parece estar determinado a colocar Harry para baixo o máximo possível, influenciado- nós sabemos mais tarde- pela semelhança de Harry com seu pai. Não há uma indicação óbvia do quanto Snape se lembra da mãe de Harry nesse ponto mas realmente não é surpreendente que Harry o veja como antagonista em seu primeiro ano.

Fazendo amizade com Hermione


Então Harry e Rony não tem uma boa primeira impressão de Hermione mas mais uma vez, é uma lição a não julgar um livro pela capa. Ainda mais uma traça como Hermione. Ela é mandona, superconfiante e uma sabe-tudo e não faz nada para ajudar sua imagem quando corrige a pronúncia de Rony no feitiço Wingardium Leviosa ("É Leviosa e não Leviosá").

Mas é quando ela mostra seu lado mais gentil depois daquela desastrosa aula de Feitiços, que eles percebem que o coração dela está no lugar certo. Que maneira melhor de construir uma amizade do que resgatá-la de um grande trasgo das montanhas? Hermione também faz sua parte, se culpando por estar no caminho do trasgo e absolvendo Harry e Hermione de qualquer punição dos professores.
Como modelo de sua relação de trio, é bem claro. Cada um deles é corajoso e um pouco imprudente mas todos trabalham em harmonia no final das contas.

O espelho de Ojesed

A reação de Harry ao ver seus pais e sua família refletida no Espelho de Ojesed nos mostra o quão profundamente ele quer uma família. Rony, que ser o centro das atenções após ser o segundo durante a vida inteira, se vê sozinho. Ambos esses desejos são compreensíveis e nenhum dos dois tentam escondê-los.

Dumbledore, por outro lado, não revela nada. Seus segredos pessoais permanecem ocultos. Naquele momento nós não sabíamos o quanto ele estava escondendo ou o quão importante se tornaria para Harry mas quando Dumbledore fala para Harry diretamente pela primeira vez depois de o encontrar com o Espelho de Ojesed, ele se revela sábio, gentil, distante e furtivo ao mesmo tempo. Não demora muito, nós descobrimos que não era nem um pouco provável que Dumbledore fosse querer tanto meias grossas de lã.


A bravura de Neville

Os nervos de Neville o diferenciam de seus colegas .Ele é ansioso, esquecido e não acredita em si mesmo. Em resumo, ele é um alvo fácil para o bullying de Draco Malfoy.

Mas quando é necessário, os nervos de Neville são na verdade feitos de aço. Ele segue o conselho de Rony e enfrenta Malfoy, apesar de estar gaguejando. E ele não para por aí. Quando ele captura Harry, Rony e Hermione fora da cama, ele tenta detê-los, forçando Hermione a usar o Feitiço do Corpo Preso nele e ganhando os dez pontos pela coragem que garantiria a Taça das Casas para a Grifinória.
Mais tarde, quando Neville assume um papel principal na resistência de Hogwarts durante as Relíquias da Morte, esse momento ganha uma importância significativa. Nos mostra que Neville sempre foi corajoso, só lhe faltava crer em si mesmo.

A evasão de Dumbledore 

Quando Harry pergunta a Dumbledore a pergunta que todos queríamos saber a resposta - por quê Voldemort tentou matá-lo em primeiro lugar? - Dumbledore não respondeu.

Bem mais tarde, em A Ordem da Fênix, ele admite a Harry que a razão para isso é porque ele se importa mais com a felicidade de Harry com que do que ser honesto.


Se ele tivesse sabido tudo desde o começo, isso teria ajudado em sua luta contra Voldemort? Quem sabe. Mas é um momento marcante para Dumbledore tanto quanto é para Harry. Harry confia em seu enigmático diretor e nem pensa em questionar sua resposta. Dumbledore, por outro lado, começa a perceber a falha em seu plano, como ele diz em A Ordem da Fênix: "Eu caí na armadilha que tinha previsto, que tinha dito a mim mesmo que podia evitar, que precisava evitar."

Quando se trata de momentos decisivos, tanto da vida de Harry remonta ao seu primeiro ano em Hogwarts.


Tecnologia do Blogger.