Em defesa de Ernesto Macmillan

0 Comments
Sim, ele pode ser pomposo e soberbo mas há algo de cativante nesse Lufano charmoso.

Texto: Pottermore | Tradução: Clara Monnerat
Apesar de ele raramente estar no centro das atenções, Ernesto certamente deixa uma marca por onde quer que passe. Como um pequeno príncipe mimado abusando da boa vontade de seus nobres, fica claro desde o primeiro momento em que o conhecemos que Ernesto gosta de ser o centro das atenções.

O herdeiro de uma antiga família bruxa, Ernesto se enxerga como uma voz de autoridade entre seus colegas, o que é fácil de ver na sua posição como líder não-oficial de sua gangue. Sempre disposto a impressionar, Ernesto gosta de se manter informado, o que pode torná-lo um pouco fofoqueiro; apesar de sua atitude de todo-poderoso, ele faz parte da turma que sussurra informações entreouvidas no castelo e é facilmente influenciável.

Ele pode ser altamente inteligente e um bom aluno mas sua necessidade de estar sempre certo significa que ele frequentemente julga as pessoas e toma conclusões precipitadas- o que levou a atitudes como espalhar para a escola inteira que Harry era o herdeiro de Salazar Slytherin e imediatamente transferiu a dúvida para Draco após se dar conta de que Harry era inocente. Tendo dito isso, também é preciso dizer que ele é bem honesto- ele pode falar pelas suas costas mas uma vez questionado, ele irá admitir que fez e´o confrontará e apresentará suas "evidências"

Lógico que ele fará uma apresentação bem dramática porque Ernesto gosta de manter seu público entretido, demonstrando uma tendência ao exagero. Ele aprecia ser admirado e se diverte com seus 15 minutos de fama fazendo efeitos como abaixar a voz ou sussurrando o que tem ouvido.


O problema é que Ernesto normalmente acredita que o que ele esteja dizendo seja verdade e ele pode ser bem fervoroso em relação às suas opiniões, especialmente quando ele acha alguém está aprontando. Ele não se sente tímido em compartilhar suas opiniões-se seus amigos não estiverem por perto, ele dará um espetáculo para quem estiver por perto, tenham eles pedido por aquilo ou não- e é sempre bem confidente. Isso pode fazer parecer que ele seja um sabe-tudo mas Ernesto é bem genuíno; uma de suas características mais admiráveis é que ele sempre admite quando estava errado.
Sua tendência a tagarelar significa que ele tem uma propensão para ofender (normalmente Harry!) mas ele não tem problema em admitir que se equivocou; ele vai pedir desculpas se perceber que errou. Ernesto tende a se tornar pomposo e formal quando ficar desconfortável, aparentando ser prepotente-definitivamente tem algo de Percy Weasley nele! 

Como Percy, Ernesto também fica bem sério quando o assunto envolve sua reputação e suas responsabilidades como Monitor, o que o deixa perplexo quando ele precisa assinar um documento para entrar na Armada de Dumbledore. Ele gosta da ideia de rebelião mas hesita quando precisa cometer o ato de rebeldia; eventualmente sua insatisfação com a censura de Umbridge ganha.

Não é surpreendente que Ernesto tenha muito orgulho em suas conquistas acadêmicas. Ele pode se tornar bem competitivo em relação à eles; quando estava estudando para os NOMs, ele enlouqueceu seus colegas se gabando incessantemente sobre a quantidade de horas que passava revisando a matéria. Irritante, sim mas seu comportamento  revela suas inseguranças-ele precisa se sentir que está fazendo mais do que todo mundo. De fato, ele é uma das poucas pessoas que gostariam de ter recebido um planejamento de dever de casa de Hermione!


Ele pode ter seus momentos irritantes mas Ernesto é um bom amigo. Como a maioria dos lufanos, ele é acaloradamente leal e protetor. Ele vem de uma linhagem puro-sangue mas não demonstra nenhum preconceito ao escolher Estudos dos Trouxas como de suas matérias optativas e se tornando melhores amigos com o nascido trouxa Justino Finch- Fletchley. Ele é raramente visto sem ele ou Hannah Abbott por perto e quando ele erroneamente acredita que Harry escolheu Justino para ser sua próxima vítima, faz tudo o que pode para protegê-lo.

Uma das coisas interessantes sobre Ernesto é que apesar de toda as baboseiras que ele fala de vez em quando, ele é bem genuíno e não é bom em manter a pose. Sua formalidade não condiz com seus verdadeiros sentimentos; é bem aparente quando ele está assustado mas também é incrivelmente corajoso, nunca fugindo de um confronto. Seja enfrentando o herdeiro de Slytherin ou ficando para a Batalha de Hogwarts, Ernesto não foge de uma situação difícil mesmo que seja intimidador.

Ele é um firme crente em fazer a coisa certa embora frequentemente vá longe demais apesar de suas boas (mas nas direções erradas) intenções. Apoiando Cedrico Diggory com um bottom "Potter fede" para demonstrar sua revolta na entrada "ilegal" Torneio Tribruxo não é exceção. Mas Ernesto também se manifestou para defender Harry mais de uma vez, mostrando sua fibra moral quando necessário.

É bem revelador que o Patrono dele seja um javali- ele pode ser notoriamente teimoso quando decidiu algo e é uma presença poderosa entre seus colegas que tende a naturalmente controlar os outros-um líder nato.


Ernesto é uma mistura complexa de fanfarronice e gentileza mas ele honra a casa da Lufa-Lufa-apesar de suas falhas, você definitivamente iria querê-lo ao seu lado. E ele ainda conta um bom causo!


Tecnologia do Blogger.