Por que queríamos ter visto mais de Hagrid e Madame Maxime

0 Comments
Torcemos para que eles ficassem juntos e felizes para sempre, mas, infelizmente, isso nunca aconteceu.

Texto: Pottermore | Tradução: Thamyres Malheiros
Hagrid foi uma jóia para todos ao seu redor, um feroz defensor dos oprimidos e, de fato, um professor bastante divertido. Sempre colocava as necessidades dos outros acima das suas próprias – mas nunca vimos mais que um vislumbre de sua vida particular. Foi assim, até uma certa diretora da Beauxbatons visitar Hogwarts...

“Os garotos não conseguiam ouvir, mas Hagrid estava falando com a diretora com os olhos embaçados e uma expressão de arrebatamento, que Harry só notara nele uma única vez – quando admirava o filhote de dragão Norberto.” - Harry Potter e o Cálice de Fogo

Hagrid se deu bem com Madame Maxime quase que imediatamente, uma mulher que tocou seu coração e praticamente sua semelhante (em tamanho, de qualquer maneira, graças à herança meio-gigante de Maxime). Para causar uma boa impressão, ele até começou a usar um pouco de água de colônia e uma flor de lapela bastante desagradável, que mais parecia uma alcachofra, para o espanto de Harry, Rony e Hermione.

Que Hagrid seja abençoado, pois até mesmo teve a ideia de levar Madame Maxime para visitar os dragões que participariam do Torneio Tribruxo. Depois o casal dançou uma pequena valsa durante o Baile de Inverno, e eles estavam, francamente, adoráveis. Parecia que a relação dos dois estava realmente chegando a algum lugar.


Infelizmente, as coisas começaram a dar terrivelmente errado quando Hagrid, embora bem intencionado, ofendeu Madame Maxime ao reconhecer a condição dela como meio-gigante.

“Como é que você se atreve? – gritou Madame Maxime. Sua voz explodiu na noite
tranquila como uma buzina de nevoeiro; às costas deles, Harry ouviu Fleur e Roger
despencarem da roseira em que estavam. – Nunca fui mais insultada na vida! Meio-gigante? Moi? Eu tenho... eu tenho os ossos grraúdos!” - Harry Potter e o Cálice de Fogo

Eles fizeram as pazes no final, e até embarcaram numa viagem até as colônias dos gigantes para prevenir que eles se aliassem a Voldemort. Mas o destino separou o casal mais uma vez quando Hagrid prometeu levar Grope de volta consigo, e Maxime voltou para casa sozinha. Depois disso, nós nunca mais vimos o casal junto novamente; entretanto, devido a Hagrid ter parado de se referir a ela, podemos assumir que a relação não continuou.



O que era tão incrivelmente meigo sobre o flerte de Maxime e Hagrid foi o fato de ter sido um dos momentos mais felizes que já vimos do guarda-caça e professor. Geralmente um sujeito otimista, assim que confrontado com uma relação em potencial (com o quão próximo o casal parecia, não seria uma surpresa ouvir sinos de casamento), Hagrid passou a ser mais o tipo tímido e desajeitado.

“É isso – disse Hagrid e uma expressão mais gentil apareceu nas poucas polegadas de rosto que não estava obscurecido pela barba ou pelo bife verde. – É, éramos só nós dois. E eu vou dizer isso, ela não tem medo de lutar, a Olímpia. Vocês sabem, ela é uma mulher refinada e bem vestida e sabendo onde estávamos indo eu imaginei como ela se sentiria sobre escaladas e dormir em cavernas e essas coisas, mas ela não reclamou.” - Harry Potter e a Ordem da Fênix

O mais fascinante sobre Maxime e Hagrid foi termos conseguido vê-lo tentando ser um verdadeiro cavalheiro. Colocar seu terno desgastado – sim, aquele marrom e peludo – para impressionar sua nova amada foi outro exemplo do enorme coração de Hagrid. Sua abordagem romântica caótica, tão caracteristicamente dele, fez com que o amássemos mais.

“Hagrid estava sentado a uma das mesas reservadas aos professores; voltara A vestir o seu horrível terno peludo marrom, e tinha os olhos fixos na mesa principal. Harry o viu dar um discreto aceno e, ao olhar para os lados, viu Madame Maxime retribuir o aceno, suas opalas faiscando à luz das velas.” - Harry Potter e o Cálice de Fogo

O romance florescente de Hagrid também o levou a fazer algo que nunca vimos antes – discutir sua infância. Como era típico dos garotos, Harry e Rony ouviram por acidente sua conversa (inadvertidamente desta vez), assim como o fez Rita Skeeter, mas Hagrid acreditava estar jogando tudo para fora apenas para Madame Maxime. Isto mostrou o quanto ele estava ferido, a ponto de desejar desabafar com ela, de maneira tão íntima, sobre sua vida pessoal.

Aprendemos como ele foi abandonado por sua mãe em tenra idade e como ela foi uma das últimas gigantes remanescentes na Grã-Bretanha, assim como as novidades surpreendentes (bem, ao menos para Rony) de que Hagrid era um meio-gigante. Foi um belo desenvolvimento do que o levou a se referir às origens gigantes de Madame Maxime, e é triste que ela o tenha levado a mal – mesmo que Hagrid não tenha errado, já que ela era de fato meio-gigante.


Hagrid, particularmente, merecia a felicidade porque todos os seus atos gentis foram predominantemente em prol de outras pessoas (ou animais). Já era hora que encontrasse alegria ele mesmo, e ele encontrou mais ou menos com Madame Maxime, que apesar de pertencerem a classes sociais diferentes, o enxergava com a mesma doçura que Harry, Rony e Hermione o faziam.

Durante uma cerimônia no Carnegie Hall em 2007, J. K. Rowling confirmou mais tarde que Hagrid não se casou. ‘Porque com os gigantes matando uns aos outros, o número de mulheres gigantes por aí era infinitamente pequeno e ele conheceu uma das únicas, eu receio...’ disse ela. ‘Ela o achava meio fofo, mas ela era um pouco mais – como eu deveria colocar – sofisticada que Hagrid. Então não, que Deus o tenha.’

Que pena.