Os trouxas que estão a par do segredo bruxo

0 Comments
Nem todos os Trouxas têm sua memória apagada...

Texto: Pottermore | Tradução: Clara Monnerat
Animais Fantásticos e Onde Habitam conta com uma rara anomalia que nós estamos acostumados a ver muito no mundo mágico de Harry Potter. Um Trouxa - bem, um No-Maj, como eles são chamados nos Estados Unidos - que está a par do segredo bruxo: Jacob Kowalski. Diferentemente, dos Dursley, ele parece gostar disso. Jacob é apresentado ao mundo bruxo através de sua amizade com Newt Scamander, um bruxo que acrescenta Jacob em sua jornada para achar e capturar sua maleta repleta de criaturas foragidas. Apesar de ser exposto a vários tipos de perigo, é justo dizer que ele se adapta bem. 

Mas é claro que Jacob não é o primeiro a No-Maj a ficar ciente do mundo bruxo. Aqui estão alguns outros exemplos.

Os Dursley


Vamos começar com os mais óbvios Trouxas que sabem de magia - e não estão muito felizes a respeito dela. - O primeiro Dursley a saber de magia, não era um Dursley de nascença. Era Petunia Evans, antes que ela se casasse com Válter Dursley. Ela era uma criança quando sua irmã Lílian - que mais tarde se tornaria a mãe de Harry Potter - descobriu que era bruxa e sua reação foi uma mistura de inveja e rancor. Por exemplo, quando Lílian recebeu sua carta de Hogwarts, Petúnia escreveu a Dumbledore perguntando se poderia ir também. Apesar da gentil resposta negativa do diretor, Petúnia ficou cada vez mais ressentida do mundo bruxo e passou a considerar bruxos como aberrações.

Anos depois - depois que sua irmã foi morta e Harry foi deixado sob seus cuidados - esse ressentimento iria continuar após seu casamento com Válter Dursley, que compartilhava suas visões de todas as coisas que não eram "normais". Os Dursley, como você sabe, eram grandes fãs de parecerem normais e tentavam de tudo para evitar o que não se encaixava nessa descrição. Isso resultou em desprezo por Harry, que era um lembrete diário do mundo além da compreensão deles- um que eles temiam e não compreendiam.

Quem compartilhava desse ressentimento era o filho deles, Duda, um valentão que atormentava seu primo até aprender de suas habilidades mágicas. O que seguiu para eles foi medo, que foi um pouco aliviado quando Duda descobriu que Harry era proibido de praticar magia fora de Hogwarts. Diferentemente de seus pais, entretanto, a atitude de Duda a respeito de Harry iria melhorar com o passar dos anos, especialmente depois dos acontecimentos de A Ordem da Fênix - em que ele é salvo dos dementadores.um momento que o afetaria profundamente.

Quando ele seguiu seu caminho em Relíquias da Morte, Duda agradeceu Harry e disse: "eu não acho que você seja uma perda de espaço."

Sr. e Sra. Granger 


Quase o total oposto dos Dursley estão os pais trouxas de Hermione, os Granger. O Sr. e o Sra. Granger - seus primeiros nomes nunca são revelados - foram apresentados ao mundo bruxo da mesma maneira que a maioria dos trouxas são: receberam uma carta de Hogwarts, que revelou que sua filha era uma bruxa nascida trouxa. De acordo com Hermione, a notícia foi uma surpresa mas seus pais a apoiaram. Em Harry Potter e a Câmara Secreta, foi dito que o casal estava nervoso sobre estar no Beco Diagonal mas rapidamente se entrosaram com os Weasley. Especialmente, Arthur Weasley, que ficou fascinado pelos seus modos trouxas.

Entretanto, expor os Trouxas ao mundo bruxo tem seus perigos. Naquela mesma ida ao Beco Diagonal, os Grangers viram o pior lado do mundo bruxo quando se depararam com Lúcio Malfoy, um supremacista do sangue-puro que os insultou na cara deles, o que provocou uma luta com Arthur Weasley, que deixou os Granger tremendo de medo. E é claro, há o encontro mais apavorante deles quando Hermione é forçada a apagar as memórias deles em Relíquias da Morte ou eles seriam capturados e torturados pelos Comensais da Morte.

James Steward


Um das mais românticas relações entre Trouxas e bruxos na história, entretanto, foi entre Isolt Sayre, uma das fundadores da escola americana Ilvermorny e seu marido No-Maj, James Steward

O casal se conheceu depois de chegar na América-com Isolt fugindo de sua diabólica tia irlandesa, Gormlaith Gaunt e James imigrando para a colônia em Plymouth. Foi um encontro definido pela tragédia, com ambos Isolt e James tendo encontrado uma família bruxa que estava sendo atacada por um Esconde-Esconde. Com os pais mortos, eles se encarregaram de restaurar as crianças. Chadwick e Webster. 

De acordo com Rowling, James tinha medo de magia a princípio mas a cada dia, ele diminuía. Isso complicava as coisas para Isolt, que jurou que iria obliviar a memória de James e enviá-lo de volta para Plymouth mas passou a gostar da companhia dele. "Finalmente", escreve Rowling, "parecia bem mais simples admitir que eles tinham se apaixonado, casaram e fim da história."

James Steward teria um dos papéis mais importantes no mundo bruxo - provavelmente mais importante que qualquer Trouxa ou No-Maj teve desde então. Junto com Isolt e seus filhos adotivos, Chadwick e Webster, James co-fundaria Ilvermorny - a primeiríssima escola americana para bruxos e bruxas-e se tornaria o co-diretor,  juntamente com Isolt. Até esse dia, estátuas de mármore de James e sua esposa enfeitam as portas de Ilvermorny, "uma das mais democráticas e menos elitistas de todas as grandes escolas bruxas", escreve Rowling.

Tom Riddle Pai


Se Isolt Sayre e James Steward são o casal mestiço mais romântico da história, então a história dos pais de Lorde Voldemort - Mérope Gaunt e seu marido Trouxa Tom Riddle Senior - é um dos menos.

A história conta que Mérope, uma bruxa vivendo na pobreza que sofria abusos de sua família, nutria uma paixão ardente por Riddle: um Trouxa que já estava apaixonado por outra Trouxa e que debochava da família Gaunt. Mas tudo isso mudou repentinamente: Riddle dispensou sua companheira Trouxa e - aparentemente do nada-se - apaixonou por Mérope. Por quê? Em O Enigma do Príncipe, Dumbledore apresenta sua teoria que Mérope deu uma poção de amor a Riddle para que ele ficasse caído por ela. Mérope logo ficou grávida de Tom Riddle Junior mas seu pai a abandonou antes que ele nascesse.

Anos mais tarde, Lorde Voldemort diria que seu pai trouxa, abandonou sua mãe depois de descobrir que ela era uma bruxa. Mas Dumbledore tinha outra teoria: "Eu acredito que Mérope, que estava profundamente apaixonada por seu marido, não aguentava mais escravizá-lo por magia. Acredito que ele fez a escolha de para de dá-lo a poção. Talvez, do jeito que ela estava convencida de que ele a amava de volta, ela tivesse passado a acreditar que ele a amava de volta verdadeiramente. Talvez ela achava que ele fosse ficar para cuidar do filho. Mas seja lá qual das alternativas for, ela estava errada."

Para sustentar a teoria de Dumbledore, dizem que Tom Riddle Senior voltou para casa falando como ele tinha sido "enganado" e "levado". Se essas palavras se referiam à magia - de fato, não se sabe o quanto ele sabia ou se lembrava - não é claro mas é possível que ele não queria que as pessoas o vissem como maluco. De qualquer maneira, mais tarde ele foi assassinado pelo próprio filho.

O primeiro-ministro trouxa:

Por último mas não menos importante, é um dos Trouxas mais poderosos de todos: o primeiro-ministro britânico. Como se o trabalho já não fosse difícil o bastante, é dito que na noite em que o primeiro - ministro é eleito, eles recebem uma visita do "outro ministro": o Ministro da Magia. É aqui que eles são informados que há um mundo além do deles, em que bruxos e bruxas vivem em segredo entre eles e que eles têm seu próprio governo para se certificar que ambos os mundos são mantidos seguros do outro. De acordo com Cornélio Fudge, o homem que era Primeiro-Ministro durante os eventos da época de Harry Potter encarou bem os fatos; ou pelo menos, reagiu melhor que seu antecessor, que achou que a coisa toda fosse uma farsa armada pelo partido rival e tentou jogar Fudge pela janela.


Quando Fudge se apresentou para o primeiro-ministro da série de Harry Potter (seu nome é desconhecido, não se sabe se ele foi ou não baseado no primeiro-ministro da vida real de 1990-1997, John Major) ele o avisou: "Não se preocupe. É provável que você nunca mais vá me ver novamente. Eu só vou te incomodar se houver algo realmente grave acontecendo que possa afetar os Trouxas - a população não-mágica, devo dizer."

Mas não foi o que aconteceu. Com o passar dos anos, Fudge o visitaria outras vezes com notícias de desastres bruxos. A primeira vez seria para relatar a fuga de um notório assassino de Trouxas "Sério" Black de Azkaban (que mais tarde se revelou estar errada). Mas anos mais tarde, mais coisas aconteceram: um ataque durante um torneio de "Cadribol" , uma importação de três dragões e uma esfinge, uma fuga em massa de Azkaban, o retorno de um bruxo do mal cujo nome ele não podia pronunciar, por algum motivo. Esse terror culminou em um relatório de guerra geral; de Fudge informando o Primeiro Ministro que "Comensais da Morte" torturavam Trouxas, que "gigantes" andavam pelo campo, que "Dementadores" agora vagavam pela terra espalhando uma névoa capaz de sugar a felicidade e que seu próprio governo havia sido infiltrado por mágica controladora da mente. 

As reações do Primeiro-Ministro variavam. No início, obviamente, ele estava confuso; ele não sabia quase nada sobre bruxos, afinal, nem importa o fato de que alguns poucos bruxos representassem uma ameaça para a nação. Conforme ele foi entendendo mais sobre o mundo bruxo, entretanto, essa confusão deu lugar ao medo e à revolta. Talvez o melhor exemplo disso foi a conversa final dele com Fudge, que teve que dar a terrível notícia da ascensão do Lorde das Trevas e seus seguidores. Confuso e irritado, o Primeiro-Ministro argumenta que, como bruxos, certamente eles podem arranjar alguma solução "bem, qualquer coisa, vocês podem fazer mágica!"

"Fudge, sorriu gentilmente e respondeu: ´O problema é que o outro lado também sabe fazer mágica, Primeiro-Ministro." - Harry Potter e o Enigma do Príncipe


Tecnologia do Blogger.